Como criar uma universidade corporativa?

Nunca o treinamento de equipes esteve tão pautado nas novas diretrizes sobre recursos humanos. Um dos termos que surgiu de uns tempos para cá e vem ganhando cada vez mais popularidade é da Universidade Corporativa.

Investimento em capacitação geralmente é um tabu para diversas empresas, principalmente as pequenas e médias. No Brasil, segundo a Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento (ABTD), as companhias alocam 38% menos recursos que países desenvolvidos.

Através da Universidade Corporativa, é possível se aproximar dos cenários mais evoluídos, tendo em vista a maior facilidade e economia de recursos trabalhando o desenvolvimento de pessoas através de uma ferramenta assim. O objetivo final ao criar uma Universidade corporativa será diminuir o retrabalho, desenvolver profissionais mais rapidamente e manter o padrão de qualidade nos serviços entregues pela empresa.

O que é uma Universidade Corporativa?

O objetivo central de uma Universidade Corporativa será a capacitação dos colaboradores. A ideia por trás é a empresa possuir um ambiente de criação e compartilhamento de conhecimento na organização. Este instrumento é bastante popular no mundo corporativo, principalmente em empresas multinacionais, que sofrem com a dificuldade de alinhamento de processos entre matriz e filiais, por exemplo.

Hoje, a prática também vem sendo trabalhada em empresas menores, na intenção de melhorar a sua competitividade a partir de um rampeamento mais rápido dos colaboradores e a melhoria de produtividade da equipe em linhas gerais. Além da equipe interna, ao possuir uma Universidade Corporativa atualizada é possível compartilhar conhecimento com clientes e fornecedores, propiciando a evolução de todo o ambiente que está em volta da empresa de maneira alinhada.

A escala, ou seja, a capacidade de alcance de pessoas ao mesmo tempo é a marca registrada de uma Universidade Corporativa, com a maioria dos seus cursos podendo ser realizados à distância. Acompanhando essa filosofia do EAD, ocorre a padronização do ensino, a redução de custos e também uma flexibilidade maior a fim de capacitar cada vez mais colaboradores em menor tempo.

Como funciona na prática uma Universidade Corporativa?

É importante dizer que, diferente da maioria das universidades educacionais, o controle da Universidade Corporativa é da empresa. Ela pode, no seu processo de ensino, utilizar de outras fontes de conhecimento externas à corporação para aprimorar os seus treinamentos.

É possível se fazer parcerias com entidades de ensino externas, por meio do compartilhamento de cursos e inclusive estruturas. O mais importante do processo é o resultado final que se quer obter, qual seja, a melhoria da performance da equipe em um menor espaço de tempo.

Outra questão diz respeito aos critérios de avaliação, que são definidos pelos profissionais responsáveis por treinamentos na empresa. Geralmente, após a conclusão de algum módulo, é dado ao colaborador um certificado de participação e aprovação para que o seu gestor compreenda a sua evolução dentro de determinado tema.

Qual o investimento para criar uma Universidade Corporativa?

Os investimentos ligados à criação de uma Universidade Corporativa estão na esfera de uma ferramenta hábil para que se concentre todo o material e propicie o aprendizado, além de uma equipe que produza os conteúdos e os aplique durante o processo educacional do colaborador.

O payback se dará à medida que os colaboradores dessa empresa atingirem um nível de maturidade mais rapidamente, além de incorrer em menos retrabalho durante a operação do negócio. Por meio de uma Universidade Corporativa que possua base de conhecimento e um espaço destinado a treinamento de colaboradores a empresa pode melhorar sua produtividade em até 25%

Importante também destacar o caráter complementar da Universidade Corporativa, que não substitui treinamentos presenciais que sejam essenciais para a formação de um novo colaborador, bem como a experiência prática que ele deverá desenvolver. É comum que funções como a de suporte, vendas e tecnologia da informação tenham maior contato com a Universidade Corporativa, pois muitas dúvidas recorrentes poderão ser sanadas por uma base de conhecimento que existe dentro da ferramenta.

A Universidade Corporativa também deve conseguir mensurar resultados, gerando relatórios para a gestão acompanhar a evolução da sua equipe. 

Por que devo começar hoje mesmo a construir uma Universidade Corporativa?

Existem diversos benefícios em integrar uma Universidade Corporativa à estratégia de desenvolvimento pessoal e treinamento da equipe. Uma vez que os cursos são criados pela equipe com uma linguagem, na maioria das vezes, bastante prática, o conteúdo é rapidamente absorvido por aqueles que o consomem.

Outro ponto importante é a facilidade em continuar com o projeto, uma vez que a maioria dos cursos são feitos online. Sendo assim, uma vez criado, o conteúdo pode ficar permanentemente disponibilizado para a equipe sem que a empresa incorra em investimentos pesados em estrutura e contratação de instrutores para cada novo treinamento. Ainda nessa linha, os conteúdos poderão ser consultados a qualquer momento e local, havendo maior flexibilidade do colaborador para acessar e aprender.

Conteúdos que vão direto ao ponto, fugindo de partes teóricas que não agregam tanto valor, é também outro ponto positivo de uma Universidade Corporativa. 

O que é preciso para uma Universidade Corporativa ser adotada pela empresa?

Inicialmente faz sentido alinhar a Universidade Corporativa à estratégia da empresa e comprovar para a diretoria a sua importância. Sem esse alinhamento, é possível que o projeto acabe se perdendo ao surgirem os primeiros desafios.

Outro ponto importante é utilizar uma plataforma que comporte os cursos online, além de permitir a medição do engajamento da equipe, bem como o desempenho individual de cada um dos colaboradores. O Pulpo pode ser uma opção.

Ainda cabe lembrar que trazer um tom mais profissional aos conteúdos criados, como apresentações e vídeos aumentam o engajamento da equipe no projeto. Por fim, deve-se medir se os resultados esperados estão sendo atingidos no curto, médio e longo prazo com o intuito de mostrar para a direção o trabalho desenvolvido.

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *