Técnicas de Gestão do Conhecimento: Mentoring

O mentoring é uma ferramenta de desenvolvimento profissional e consiste em uma pessoa mais vivida ajudar outra menos experiente. Em português pode ser traduzido para termos como “mentoria” ou “tutoria”.

O mentor é alguém que possui maior uma experiência profissional no trabalho da pessoa que está sendo mentorada. A técnica auxilia no desenvolvimento da carreira do profissional mais inexperiente e é constituída por conversas e debates acerca de assuntos diversos, não necessariamente ligados ao trabalho. A estruturação de um projeto nesses moldes, geralmente fica a cargo do RH e, em empresas que não possuem um processo estruturado dessa prática, é utilizado em caráter de urgência, quando algum funcionário vai se aposentar ou por algum outro motivo específico.

Para alcançar melhores resultados com o mentoring, ele deve ser uma ferramenta dentro de um projeto completo de Gestão do Conhecimento, e com uma sequência dada a cada entrada de um novo colaborador e não apenas “para apagar incêndio”. Dessa forma, o conhecimento será repassado mais naturalmente e ainda terá de apoio as outras técnicas que irão, ao final, encontrar o melhor resultado para a companhia.

Características de um bom programa de Mentoring:

1- Ganha-ganha

Em um programa bem estruturado, fica claro a todas as partes quais são os ganhos reais de cada um. O mentor, neste caso, recebe grande motivação, sentindo que está contribuindo para o crescimento profissional e pessoal de um colega, e ao mesmo tempo está equipando a empresa para um futuro promissor. Ainda, oxigena suas ideias lidando e aprendendo outras tecnologias e novidades com alguém mais jovem.

Para o mentorado, além dos processos e aprendizados profissionais, é uma oportunidade de agregar em experiência de vida e conhecimentos interdisciplinares. Quanto mais claros restarem os ganhos de ambos, maior a longevidade do programa de mentoring.

2- Disciplina

Tempo é uma questão escala de prioridades. A “falta de tempo”, que muitos falam, diz muito a respeito de como estão alocando  este recurso e não da sua ausência. Caso um programa de mentoring seja implantado, é necessário que exista esse espaço na agenda dos profissionais para esse contato.

Caso esse processo não seja respeitado, as chances do programa ficar em segundo plano e não atingir os objetivos traçados é grande. Para isso, uma conversa prévia com os envolvidos e a exigência de comprometimento é essencial para o bom andamento do projeto.

3- Seleção

Outro desafio é encontrar o mentorado certo para cada mentor. Conseguir alocar todas as pessoas de forma que todos saiam ganhando e que não haja um acúmulo de aprendizes em um único mentor é outro desafio para o pessoal do RH.

Por isso, na hora da seleção e alistamento dos interessados, fazer as perguntas certas e saber interpretar da melhor forma as suas respostas se mostra crucial. Para uma maior assertividade no processo, a estratégia e o que se quer de cada indivíduo e do programa como um todo deve estar bem consolidado.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *