Comparativo: Pulpo X Slack

Estão ganhando muita popularidade nos ambientes corporativos plataformas de produtividade específicas hospedadas no que chamamos de nuvem. Em sua maioria são desenvolvidas com o que há de mais novo em tecnologia, muito focadas na experiência do seu usuário e mais acessíveis financeiramente que aqueles softwares mais robustos utilizados por empresas mais tradicionais. Essas empresas extremamente inovadoras adotaram um modelo de negócio conhecido como SaaS (Software as a Service).

Sempre quando vamos apresentar o Pulpo em um pitch ou para pessoas do meio da tecnologia e inovação, surge o questionamento: qual a diferença dessa plataforma para o Slack?

No início do Pulpo, sabíamos a diferença que queríamos entregar para o nosso usuário, mas com a plataforma em estágio muito embrionário ficava difícil demonstrar os grandes diferenciais que teríamos para empresas focadas em comunicação interna. E o Slack era uma dessas.

O que é o Slack?

O Slack foi criado em 2014 para ajudar empresas a melhorarem sua comunicação interna, reduzindo a necessidade da troca de infinitos e-mails e da participação em diversas reuniões para tomar uma decisão.

No Pulpo, para a nossa comunicação interna, acabamos substituindo o Whatsapp pelo Slack e gostamos muito da ferramenta. Ele permite a segmentação das discussões por canais específico como marketing, financeiro e desenvolvimento; ainda possui a parte de comunicação direta entre os usuários da nossa empresa.

O nosso grande ganho foi fazer a parte empresarial não se misturar com os diversos grupos sociais que temos no Whatsapp, o que gerava uma grande perda de produtividade por parte de todos nós. Isso sem falar na facilidade em compartilhar arquivos e integrar com outras plataformas, grandes diferenciais do Slack para outros softwares de comunicação.

O que é o Pulpo?

O Pulpo foi criado em 2016 e é uma plataforma para a gestão do conhecimento de grupos. Nele, as pessoas podem armazenar, encontrar e compartilhar de maneira simples o conteúdo importante que for desenvolvido. Possui aplicações para empresas, educação e grupos sociais.

Também utilizamos o Pulpo no nosso negócio para o desenvolvimento de novos colaboradores com treinamentos e dicas de ambientação, suporte interno e externo para clientes e ainda para o compartilhamento de informações que julgamos interessantes para o nosso dia-a-dia como notícias, posts e vídeos.

Como utilizar Pulpo e Slack juntos?

Com a evolução do Pulpo, ficou mais fácil mostrar que a nossa plataforma e o Slack não eram concorrentes e sim complementares. As conversas mais relevantes que surgem em plataformas de mensagem como o Slack e que merecem uma atenção especial podem ser armazenadas no Pulpo que se encarregará de estruturá-las de forma que todos os envolvidos encontrem esse conhecimento quando precisarem, em poucos cliques.

Apesar da funcionalidade do “Pin” presente no Slack, essa informação acaba se perdendo e não fica fácil de ser encontrada por alguém que não estava diretamente envolvido na conversa. Ainda, o conhecimento não fica estruturado, devendo a pessoa, na busca, escrever exatamente as palavras colocadas por quem “pinou” a mensagem.

No Pulpo isto é feito através de tópicos e sub-tópicos, o que torna a assertividade da busca por informações muito alta e inteligente. Nele, os usuários podem buscar por sinônimos ou palavras que remetam ao assunto, devidamente informadas pelo moderador do tópico.

Num futuro próximo, o Pulpo desenvolverá um bot de busca para que esta seja feita dentro de uma conversa no Slack, mas com o acesso ao banco de conhecimentos do Pulpo e uma integração na qual o compartilhamento das mensagens se dêem diretamente entre o Slack e o Pulpo, tornando este processo cada vez mais dinâmico.

Sendo assim, resta bastante claro a importância das pessoas se comunicarem e ao mesmo tempo registrarem aquilo que possa ser interessante para o futuro do grupo em questão, seja este uma empresa, estudos ou social. Por isso, recomendamos o uso tanto de uma plataforma de mensagens como o Slack e do Pulpo para a gestão do conhecimento.

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *