O que são dados, informações e conhecimentos?

Para compreender ainda melhor o porquê da existência da gestão do conhecimento e sobre a sua prática, é importante analisar a sua formação e o caminho que leva para um dado se transformar em conhecimento e posteriormente em um resultado tangível.

Dado

Pode-se definir dado como a representação quantificada de alguma coisa. Quando olhamos um dado individualmente ele não terá um sentido claro. Para trazer um contexto mais aplicável, é necessário tratá-lo e transformá-lo em informação.

Dados singulares como 500 leads ou 1000 usuários são bons exemplos dessa categoria. Pode-se notar que dispostos dessa forma, não é possível haver uma compreensão exata do sentido que esses números podem trazer ao negócio.

Informação

Dados que possuem um significado em determinado contexto são chamados de informações. Plataformas e pessoas podem auxiliar no tratamento desses dados a fim de que eles cada vez mais auxiliem os diretores na tomada de decisões estratégicas.

Uma informação como “500 leads novos no Pulpo no mês de dezembro vindo de determinado canal” é um bom exemplo desta categoria. O objetivo de uma informação é que um dia ela se torne conhecimento e traga resultados para a empresa.

Conhecimento

Quando a informação possui uma aplicação prática, damos o nome de conhecimento. Esta classe se refere às formas de alcançar um resultado concreto a partir de determinado conteúdo. É derivado do aprendizado real dado em virtude das trocas interpessoais, práticas estabelecidas no negócio e valores entregues aos clientes internos e externos.

Exemplos como um “treinamento de vendas para iniciantes” ou uma pergunta de “Como fazer com que se consigam 500 leads novos para o Pulpo no mês de dezembro” acompanhada pelos detalhes de sua resposta podem ser considerados conhecimentos e propensos a estarem dentro de uma base respectiva.

A maioria dos conhecimentos são tácitos, ou seja, estão internalizados nas próprias pessoas. Isso torna eles difíceis de escalar e de se passar o know-how dos fundadores para o resto da equipe.

Como transformar o conhecimento de tácito para explícito?

A grande sacada para atingir bons resultados nesse tema é conseguir transformar o conhecimento tácito em explícito. Para isso, sugere-se atentar a três passos importantes:

Gestão do conhecimento

Realizar uma boa gestão do conhecimento é fundamental para alcançar esse objetivo. Para isso é importante atentar para a plataforma e também metodologia utilizada.

No Pulpo, utiliza-se a metodologia DIIVE. Ela é ideal para que o processo de gestão do conhecimento seja aplicado em pequenas e médias empresas. Ainda, ao contratar uma base, deve-se atentar para que ela seja simples e engajadora, a fim de que os melhores resultados sejam encontrados durante a criação e desenvolvimento da nova cultura.

Disciplina

Nada é fácil. No processo de criação da cultura de gestão do conhecimento na empresa o desafio é igualmente difícil. Para isso, é fundamental ter disciplina e engajar aos poucos o resto da equipe para atingir os melhores resultados.

O foco, principalmente no início, deve ser comprovar o ROI do processo e atentar para as armadilhas como a formação de “ilhas de conhecimento”, sabotagem e desengajamento. Ao final, o líder do projeto deve se certificar que a maior parte da equipe esteja colaborando na transformação do conhecimento tácito em explícito, de forma recorrente.

Ser exemplo

A principal pessoa dentro de um projeto de gestão do conhecimento é aquele que trouxe o conceito para dentro da equipe. Essa pessoa tem a obrigação de ser o exemplo durante o processo e auxiliar na aplicação da metodologia perante os outros.

Além disso, deve praticar, diariamente a gestão do conhecimento e fazer com que todos entendam a sua importância para o bem comum. Será responsável, também, por regular a equipe através da definição de métricas e gratificar ou indicar colaboradores destaque para a diretoria.

O engajamento de todos se dá nas pequenas ações e cada exemplo dado fará com que a empresa pouco a pouco crie a sua própria cultura.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *