Qual o investimento para o aprendizado interno?

No post “Para que serve a gestão do conhecimento” foi vista a parte conceitual, bem como os benefícios macro de um processo de gestão do conhecimento implantado em uma empresa. No entanto, por se tratar de algo que não se vê por aí com facilidade, fica o questionamento: qual o investimento para ter essa fonte de informações estratégicas sob o domínio da empresa?

O maior ativo que será alocado para um processo de gestão do conhecimento é o tempo. Este investimento raramente é medido pelos gestores sobre a sua equipe, principalmente aquele derivado de retrabalho e desperdício. A gestão do conhecimento exige tempo e disciplina para a transmissão dos aprendizados individuais para o domínio da corporação.

No entanto, em uma rápida análise sobre este ativo, percebe-se que as empresas que não realizam a gestão do conhecimento, gastam muito mais tempo ensinando novamente aqueles que possuem dúvidas, bem como os novos colaboradores sobre os atuais processos. Isso sem falar nos desperdícios causados por falhas procedimentais básicas, onde um simples suporte de informação resolveria o problema, sem retirar outro colaborador da produção para explicar a maneira correta de se fazer tal ação.

Utilizar uma ferramenta inteligente e eficiente na gestão do conhecimento também ajuda, e muito, na economia de tempo do processo. Interessante visualizar no mercado algo que gere engajamento nos colaboradores ou elaborar uma estratégia que contemple isso. Sem a colaboração de todos, é mais difícil fazer uma boa gestão do conhecimento.

Outra maneira de gerar engajamento e que pode ser considerada um investimento, é uma contrapartida aos colaboradores que mais contribuem com o compartilhamento de informações. Aquelas pessoas que possuem o interesse de fazer a corporação crescer merecem, sem dúvidas, um incentivo para que as diferencie das outras que não estão tão engajadas nos objetivos traçados.

Por fim, vê-se que o investimento em gestão de conhecimento revela um custo-benefício gigante para a corporação. As empresas que não mapeiam e registram o conhecimento da sua equipe perdem competitividade, correm o risco de ficarem obsoletas e perder cada vez mais mercado.

 

5 respostas

Trackbacks & Pingbacks

  1. […] de trazer melhorias, é necessário realizar um processo apurado de Gestão do Conhecimento. O aprendizado intersetorial em uma corporação traz comprovadamente mais eficiência e engajamento … Além disso, com o registro dos conhecimentos implícito e explícito, uma nova pessoa poderá se […]

  2. […] que ocorre é que o Cláudio não conseguiu passar ao Rodrigo e aos seus outros colegas os seus aprendizados de sucesso e acabou tornando essas boas práticas presas na sua própria […]

  3. […] e bem trabalhado também pode servir para o início do processo. Claro que não se escapará de um investimento quando a equipe e empresa forem vendo o valor e a importância da Gestão do Conhecimento no […]

  4. […] Ao se posicionar como uma solução para a gestão do conhecimento de equipes, o Pulpo utiliza-se do método “wiki”, proporcionando aos seus clientes um ambiente de aprendizado colaborativo e inovador. […]

  5. […] e otimização de um dos recursos mais importantes e por muitas vezes esquecidos pelas empresas: o aprendizado interno. A metodologia atua como uma prevenção a problemas crônicos e invisíveis no cotidiano das […]

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *